1- As Contribuições Extraordinárias para Equacionamento do Déficit vão se somar às outras que eu já pago?

Resposta:

A contribuição de 3,94% referente ao Plano de Equacionamento dos anos 2011 e 2012 continuará a ser cobrada.

A partir do contracheque de maio/2016, serão instituídas novas contribuições extraordinárias para equacionamento do déficit do plano BD relativo aos anos 2013 e 2014.

A cobrança ocorrerá assim:

Ativos do plano BD Saldado – Contribuições Extraordinárias de valor equivalente a 13,98% do Benefício Proporcional Saldado, calculadas sobre o salário de participação + Contribuições Extraordinárias de 3,94% relativas ao déficit anterior, já em vigor desde abril de 2013 = total de descontos para equacionamento será de 17,92%;

Aposentados do plano BD Saldado – Contribuições Extraordinárias de valor equivalente a 13,98% do Benefício Proporcional Saldado, calculadas sobre benefício + Contribuições Extraordinárias de 3,94% relativas ao déficit anterior, já em vigor desde abril de 2013 = total de descontos para equacionamento será de 17,92%; Obs: As contribuições extraordinárias para equacionamento do déficit não guardam relação com a contribuição previdenciária, de 9% do valor do benefício, que faz parte do desenho do plano e continuará a ocorrer normalmente

Pensionistas do plano BD Saldado – Contribuições Extraordinárias de valor equivalente a 13,98% do Benefício Proporcional Saldado, calculadas sobre o valor da pensão + Contribuições Extraordinárias de 3,94% relativas ao déficit anterior, já em vigor desde abril de 2013 = total de descontos para equacionamento será de 17,92%;

Para aqueles que são participantes do PostalPrev, o plano não tem déficit a equacionar, portanto, não será necessária nenhuma medida de ajustamento, nem cobrança de taxa extraordinária. As contribuições para esse plano continuarão a ocorrer normalmente.